O que é adubação orgânica e quais são os principais tipos?

4 minutos para ler

Para enriquecer o solo e mantê-lo em boas condições, é muito comum os agricultores fazerem uso de adubos na plantação. A adubação orgânica oferece melhorias biológicas, químicas e físicas, aumentando a fertilidade do solo.

O adubo orgânico pode ser de origem animal ou vegetal, como cascas, bagaços, farinhas, esterco, restos de vegetais, adubo verde e cinzas. Técnicas de compostagem são utilizadas para acelerar a decomposição desses materiais e produzir compostos orgânicos que favorecem a agricultura.

Existem vários tipos de adubo orgânico. Neste artigo, vamos abordar os principais e mostrar os cuidados que devem ser tomados para garantir eficiência com a adubação orgânica. Boa leitura!

Os principais tipos de adubo orgânico

O adubo orgânico é composto de matérias orgânicas que formam uma mistura rica em nutrientes e mantém o solo em condições apropriadas para o plantio. Separamos as principais matérias orgânicas usadas para a produção desse tipo de fertilizante.

Húmus

Esse insumo é obtido por meio da decomposição da matéria orgânica digerida pelas minhocas. O húmus é uma ótima fonte de micro-organismos para a terra e facilita a liberação de nutrientes, proporcionando um equilíbrio nutricional para as plantas. Esse produto tem bons teores de macronutrientes e micronutrientes, além de não ser tóxico para o meio ambiente. O húmus prolonga e antecipa a florada e a frutificação da colheita.

Fino de carvão

O fino de carvão utiliza substratos orgânicos na sua composição e, por ser um material poroso, tem alta capacidade de retenção de água e de absorção dos compostos orgânicos solúveis. Esse adubo facilita a proliferação de elementos benéficos e é composto por minerais, como boro, sílico, cobre e, principalmente, potássio.

Bokashi

Esse produto tem importantes minerais que contribuem para o desenvolvimento saudável das plantas. O Bokashi é um fermentado, natural da agricultura japonesa, e antecipa a decomposição da matéria orgânica, melhorando as condições gerais do solo. Esse tipo de adubo orgânico favorece todo o solo, proporcionando benefícios para raízes e micro-organismos.

Farinha de osso

Expostos a altas temperaturas até a queima total, ossos bovinos se transformam em cinzas. Depois do resfriamento, essas cinzas são moídas e viram a farinha de osso. Esse adubo orgânico é rico em cálcio e fósforo que, quando absorvido pelas raízes das plantas, aumenta a produtividade da colheita. A solubilização desse produto acontece lentamente, garantindo, por maior tempo, o suprimento de fósforo na plantação.

Os cuidados com a utilização da adubação orgânica

Os adubos orgânicos exigem alguns cuidados na hora da sua produção e na utilização. A compostagem e o húmus, por exemplo, precisam de atenção todos os dias, já que é preciso abastecer o minhocário e a composteira diariamente para garantir o bom desempenho do processo.

Além disso, nesse tipo de adubação orgânica, é importante observar a presença de larvas ou insetos, além de mau cheiro ou outros problemas que podem comprometer a compostagem. Os adubos feitos a partir de esterco de animal também podem atrair larvas e insetos. Nesses casos, para que a decomposição seja eficiente, é preciso manter baixa umidade no local e deixar o esterco bem curtido.

Portanto, a adubação orgânica oferece inúmeras vantagens para a colheita e para o meio ambiente. Os adubos orgânicos são fáceis de ser produzidos, aumentam a fertilização do solo, favorecem a produtividade e diminuem as chances de desperdícios. Por isso, conte com uma empresa especializada e escolha o melhor tipo de adubação orgânica para o seu negócio.

Este post foi útil? Antes da adubação e do plantio, o solo precisa de uma análise minuciosa para garantir o sucesso na colheita. Descubra como funciona essa avaliação e quais os seus benefícios!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-