9 DICAS PARA MELHORAR O CONTROLE DE PRAGAS DA SUA PROPRIEDADE RURAL

7 minutos para ler

Muitos produtores cometem um erro perigoso no processo de adubação das culturas agrícolas, principalmente hortaliças: o uso em excesso de fertilização. Esse se tornou um problema recorrente nas lavouras e pode causar desperdícios e muitos prejuízos.

Por isso, saber a dose certa de fertilizantes é importante para garantir uma plantação bem nutrida e de qualidade. Por meio da avaliação do solo, é possível saber a quantidade exata de fertilizante necessário para o desenvolvimento adequado da cultura. O uso excessivo desses produtos pode gerar danos ao meio ambiente e prejuízos financeiros aos agricultores.

Além disso, o excesso na fertilização compromete a saúde das plantas e a produtividade da lavoura. Oferecer a quantidade suficiente de nutrientes para as plantas é a melhor estratégia para um manejo eficiente.

Neste post, vamos apresentar os principais problemas gerados pelo excesso de fertilização e como evitá-los. Confira!

Quais os principais problemas do excesso de fertilização na lavoura?

Um solo fértil é aquele que tem a capacidade de fornecer os nutrientes necessários para que as plantas se desenvolvam com saúde. Boa parte dos solos tem baixa fertilidade natural e, por isso, os agricultores utilizam os fertilizantes.

O uso adequado desses produtos aumenta a produtividade da colheita, oferecendo maior rentabilidade e lucratividade aos produtores. Porém, o excesso na fertilização pode gerar alguns problemas à lavoura. Separamos os principais, a seguir.

Dificuldades para as plantas na absorção de nutrientes

O desequilíbrio nutricional pode provocar dificuldade para as plantas absorverem os nutrientes, causando um fenômeno conhecido como antagonismo. Nesses casos, os nutrientes tendem a competir pelo mesmo lugar de absorção e aquele que se apresentar em excesso bloqueia a absorção dos outros, em um processo chamado inibição competitiva.

Por isso, é fundamental que potássio, cálcio e magnésio estejam em equilíbrio no solo para garantir que as plantas absorvam plenamente cada um deles. Por exemplo, quando se tem excesso de potássio no adubo, as plantas terão dificuldade de absorver o cálcio e o magnésio. O mesmo pode acontecer com outros nutrientes.

Vulnerabilidade a doenças

O uso em excesso ou com deficiência de fertilizantes deixa as plantas nutricionalmente mais vulneráveis a doenças. Por isso, o equilíbrio de nutrientes é fundamental para que a plantação cresça com maior resistência e qualidade.

São muitos os nutridores necessários para o desenvolvimento sadio da lavoura. O potássio e o cálcio usados em quantidade adequada, por exemplo, enrijecem tecidos das plantas, deixando-as mais resistentes.

O nitrogênio, quando usado em grande quantidade, pode deixar os tecidos das plantas mais sensíveis e menos resistentes às infecções. Por outro lado, o déficit de potássio aumenta a concentração de aminoácidos e açúcares, favorecendo o crescimento de fungos. Portanto, o desequilíbrio nutricional causa sérios problemas de absorção e diminui a capacidade de defesa das plantas contra doenças.

Aumento demasiado de vigor vegetativo nas plantas

A aplicação de adubo com excesso de nitrogênio também compromete a saúde de toda a cultura. Esse fator aumenta o vigor vegetativo das plantas e resulta no desequilíbrio entre as estruturas reprodutivas e vegetativas.

Isso quer dizer que a planta passa a produzir muitos ramos e folhas, desenvolvendo com menos prioridade frutos, flores, tubérculos e raízes tuberosas. Além disso, pode acontecer um atraso no início do processo produtivo.

Esses problemas são observados com mais frequência em plantas em que o produto são frutos, raízes ou tubérculos, como nos cultivos de mandioca e de batata. Em macieiras, o excesso do nitrogênio no adubo retarda a entrada da planta na fase de produção e diminui o número final de frutos. Já as uvas viníferas perdem qualidade dos frutos quando são expostas a níveis altos de fertilizantes.

Estresse por salinidade

Existem fertilizantes que, quando aplicados de forma concentrada na base das plantas ou em excesso, podem aumentar a salinidade da região radicular, levando a condições de estresse. Os fertilizantes apresentam níveis diferentes de salinidade, que variam de acordo com sua formulação.

A plantação de morangos é bastante sensível à alta salinidade, que pode ocasionar folhas quebradiças e frágeis, levando à morte das raízes. São dois os tipos de problemas gerados pela elevada salinidade:

  • estresse osmótico: a planta sente como se estivesse precisando de água e a dificuldade de absorção do líquido faz com que ela adapte seu metabolismo para uma condição de estresse híbrido, comprometendo seu crescimento;
  • estresse iônico: quando o fertilizante em alto volume causa toxidez às plantas.

Prejuízos ao metabolismo da planta

Quando absorvidos em excesso, alguns nutrientes podem gerar desequilíbrio e prejuízos metabólicos na plantação. Com isso, acontece uma interferência nos processos bioquímicos internos, prejudicando as funções vitais da planta.

Esses danos tóxicos podem interferir na produtividade e na sanidade da cultura. Um dos nutrientes que podem causar problemas por toxidez é o boro. Quando esse nutriente está presente em grandes quantidades, pode gerar descoloração e necrose nas bordas da folhagem.

Elevação do PH

Fertilizantes, como os compostos por restos vegetais, têm o objetivo de neutralizar a acidez do solo. Porém, o uso exagerado e prolongado de determinados produtos provoca o aumento do PH das plantas a elevados níveis, gerando a indisponibilidade de nutrientes, como cobre, ferro e zinco.

Como resolver esses problemas?

A fertilização do solo é o processo mais importante em uma plantação e, portanto, é fundamental que seja feito de forma adequada e equilibrada. Por isso, na hora de calcular a quantidade correta de adubo para o solo, é indicado utilizar materiais de apoio, como os manuais de adubação, além de consultar um agrônomo.

Outra solução bastante eficiente para o cálculo adequado de fertilizantes é o uso de tecnologias, como o dosador de precisão FertiSystem Auto-Lub AP NG. Essa ferramenta auxilia o produtor a dividir de forma correta o fertilizante na plantação. Assim, é possível evitar desperdícios e prejuízos, além de otimizar a colheita e aumentar os lucros.

A agricultura de precisão tem sido fundamental para melhorar o desempenho das lavouras. O parcelamento da adubação também é uma alternativa para resolver problemas relacionados ao uso exagerado de fertilizantes.

Aplicar doses espaçadas do produto diminui as chances de desperdícios e desequilíbrios, garantindo o bom aproveitamento dos nutrientes pela planta. Além disso, é fundamental que o agricultor monitore constantemente as condições nutricionais da lavoura por meio da avaliação do solo e do tecido vegetal.

O excesso na fertilização pode causar sérios danos para a lavoura, gerando desperdícios e prejuízos para o agricultor. A aplicação adequada dos nutrientes é fundamental para manter a qualidade da colheita, aumentando a produtividade e garantindo maior lucratividade.

Além disso, o uso correto desses produtos reduz os impactos ambientais e proporciona resultados positivos nas propriedades físicas do solo. Por isso, conte com ferramentas eficientes para dosagem de fertilizantes e proporcione mais saúde para sua plantação.

Quer ter mais informações sobre o dosador de precisão Auto-Lub AP NG, da FertiSystem? Saiba como adquirir essa ferramenta e obtenha mais sucesso em seu negócio, eliminando as chances de excesso na fertilização!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-