Plantio em nível: conheça os benefícios e saiba quando é indicado

8 minutos para ler

O produtor rural precisa estar afeito às diferentes técnicas usadas na agricultura. Assim, ele saberá aplicar a melhor conforme as características do terreno, o clima da região e o seu próprio perfil de agricultor.

O plantio em curvas de nível, conhecido também como plantio em contorno, é a produção organizada usando linhas que têm diferentes altitudes de acordo com o terreno. Trata-se da medida mais básica que visa à conservação do solo. Ele se opõe ao chamado plantio “morro abaixo”, o qual não respeita as curvas de nível.

Outras técnicas similares são o terraceamento (formação de terraço) e o plantio em faixa com diferentes coberturas, que podem ser usadas juntamente ao método do plantio em curvas de níveis. Neste post, falaremos mais sobre o plantio em nível. Leia o artigo e entenda como aproveitar essa técnica!

Como funciona o plantio em nível e para que terrenos ele é indicado?

O plantio em nível é recomendado para terrenos íngremes, sempre respeitando os declives da região. Acompanhando as curvas de nível, cada linha do plantio funciona como um empecilho que diminui a velocidade da enxurrada no caso de ela se formar sobre a superfície do terreno. Com a redução na agilidade do escoamento, há mais tempo para a água se infiltrar na terra.

As curvas de nível permanecem perpendiculares à inclinação da encosta e ajudam na conservação da cobertura natural do solo. Elas consistem em linhas que unem pontos em uma mesma altitude na superfície de um terreno. Por isso, são chamadas também de curvas altimétricas.

Conforme a inclinação do terreno, os degraus podem ficar mais estreitos ou mais largos. No plantio “morro abaixo”, realiza-se o acompanhando do declive do terreno, de modo que as linhas começam na parte mais elevada e terminam na parte mais baixa.

Essa forma de plantio favorece o escoamento da água em grande velocidade, facilitando a erosão. É nesse cenário que pode ser interessante investir no terraceamento.

O que é e por que vale a pena fazer o terraceamento?

O terraceamento é uma técnica recomendada para conter erosões provocadas pelo escoamento da água em regiões de vertentes. Ela é usada ao parcelar um terreno inclinado em várias rampas. Assim, as águas das chuvas, escoando superficialmente, descem com menos força, retirando menos sedimentos no solo e causando menos agressões sobre ele.

Não é difícil entender esse mecanismo, pois sabe-se que a água escorre com mais velocidade em uma superfície lisa do que em uma superfície em forma de escada. De modo geral, o terraceamento pode ser aplicado em qualquer tipo de solo, mesmo naqueles menos vulneráveis à erosão, como os que têm muita argila que recebem culturas anuais.

É importante lembrar que o plantio em curvas de nível, apesar de algumas semelhanças, não é a mesma coisa que terraceamento. As curvas de nível são aplicadas em terrenos já irregulares, ou seja, a plantação acompanha o desnivelamento natural. No terraceamento, os desníveis são artificiais.

Origens do terraceamento

O terraceamento foi criado pelos incas, antiga e desenvolvida civilização americana. A técnica foi desenvolvida tanto para aumentar os terrenos cultiváveis como para proteger o solo.

Na Cordilheira dos Andes, onde viviam os incas, a maior parte dos terrenos é alta, havendo poucas áreas planas. Assim, era fundamental aproveitar ao máximo cada pedaço de terra para garantir a agricultura. Atualmente, o terraceamento é muito aplicado em comunidades que vivem no sul do continente asiático.

Veja, agora, as técnicas de terraceamento, que são divididas em dois tipos.

Terraços de drenagem

São aqueles em que a água é destinada para ser reaproveitada ou para um lugar em que simplesmente não ocasione problemas de erosão e desgaste do solo. Essa técnica requer maiores cuidados, já que nem sempre existe um lugar seguro para escoar a água.

Terraços de armazenamento

São os mais usados para construir canais que gerem a infiltração da água no terreno. O terraço de armazenamento é recomendado para solos que oferecem um certo nível de porosidade, ou seja, em que a água se infiltra facilmente.

Quais os benefícios do plantio em nível?

Vamos analisar alguns benefícios do plantio em nível.

Sustentabilidade

Uma das principais vantagens é a sustentabilidade. Ele contribui para a preservação do solo, evitando a erosão. Facilitando a infiltração da água no solo à medida que reduz sua velocidade de escoamento, essa técnica ajuda a evitar deslizamentos e outros problemas (veja mais abaixo).

Preservação de nutrientes do solo

Outro benefício é que o plantio em nível contribui para a retenção dos elementos solúveis que compõem o solo, ou seja, os nutrientes, promovendo a melhor produtividade. Como equilibra a velocidade com que a água da chuva desce a encosta, evita a perda de minerais dos próprios cultivos.

Aproveitamento das águas pluviais

Outra vantagem é que o plantio em nível aumenta o aproveitamento da água. De acordo com o tipo de terraço, as águas pluviais são armazenadas ou retidas, dando oportunidade para seu reaproveitamento ou redirecionamento para outras áreas que necessitem delas.

Prevenção contra diferentes problemas socioambientais

Preservando o solo contra a erosão, o plantio em curvas de nível é uma solução para prevenir problemas socioambientais. Veja quais são eles, a partir de agora.

Deslizamentos/desmoronamentos

Acontecem porque a água da chuva não encontra obstáculos que contenham a velocidade de sua descida. Dessa forma, ela arrasta tudo que encontra em seu caminho, provocando os deslizamentos de terra e desmoronamentos de barrancos.

Assoreamento dos rios

O assoreamento acontece quando os cursos de água são prejudicados pelo acúmulo de sedimentos no leito. As chuvas lavam o solo, isto é, removem a camada superficial e as partículas de rocha e solo (sedimentos) são levados até os rios por escoamento, onde se depositam.

Enchentes

Uma das causas das enchentes é justamente o assoreamento dos rios, pois os sedimentos acumulados acabam aumentando o nível de água e, durante as estações chuvosas, a água acaba transbordando.

Extinção da flora e da fauna brasileiras

O plantio em nível, reduzindo a velocidade da água nas descidas, ajuda para que muitas espécies vegetais não sejam arrancadas do solo. Da mesma forma, a ocorrência de erosão e enchentes pode ameaçar não somente as espécies vegetais, mas as animais também, que têm seu habitat degradado.

Diminuição da área de plantação

A erosão mata o solo, reduzindo a quantidade de zonas férteis, que servem para plantações.

Redução da biodiversidade

Com a extinção de exemplares vegetais e animais, a biodiversidade acaba sendo prejudicada.

Formação de voçorocas

Como a água pluvial em alta velocidade destrói a cobertura natural do solo, ele acaba ficando cheio de cascalhos e mais fácil de ser carregado pelas enxurradas. Dessa forma, abrem-se grandes buracos no chão, formando ravinas e voçorocas.

O que é a erosão?

A erosão é um sério problema para o qual tem contribuído bastante a ação do próprio homem. Interferindo na natureza da forma errada, utilizando métodos mais agressivos de transformação do meio que o cerca, ele acelera o processo de erosão.

Vale lembrar que esse processo acontece naturalmente no planeta, mas leva milhares ou milhões de anos para se consumar. Entre as causas da erosão provocada pela ação humana, podemos citar:

  • os desmatamentos;
  • as queimadas;
  • a drenagem das estradas (especialmente das rodovias);
  • o processo de urbanização;
  • alguns métodos de plantio.

É muito importante para o produtor rural conhecer bem a técnica de plantio em nível e empregá-la corretamente em seu terreno, caso ele apresente áreas muito inclinadas. Essa é uma forma de minimizar os impactos negativos das forças da natureza!

O que achou do post? Costuma aplicar a técnica do plantio em curvas de nível? Que técnicas usa com mais frequência? O que acha do plantio “morro abaixo”? Faça seu comentário e deixe sua opinião aqui no blog.

Você também pode gostar

2 thoughts on “Plantio em nível: conheça os benefícios e saiba quando é indicado

Deixe uma resposta

-